Brasão Eclesial Arquidiocesano

Brasão Eclesial Arquidiocesano


Brasão Eclesial

Arquidiocese de Cascavel-PR


  • DESCRIÇÃO HERÁLDICA
    Escudo: Cortado de azul e vermelho por uma linha endentada, formada de três asnas. Sobre esta linha divisória está firmada uma faixa de prata, também endentada e asnada. A asna / central, mais alta das três, projeta para cima uma Cruz e é cortada no seu centro, por uma faixeta que retrata uma letra “A”, sendo tudo de prata. Abaixo da faixa de prata situa-se o campo vermelho que contém um mantel azul, cosido, ostentado no seu centro, um globo no qual é presa e elevada uma Cruz de ouro, envolvida por uma serpente do mesmo metal. De cada lado da Cruz / serpentífera, está situada uma chama de lanterna, de ouro. Insígnias: Mitra dourada, forrada de vermelho, ornada por duas cruzetas de prata nas laterais da fronte da Mitra / e do seu interior descem dois fitões dourados, forrados de vermelho. Cruz Patriarcal posta em banda, Báculo posto em barra, / ambos dourados e Pálio Metropolitano.


    COMENTÁRIO SIMBÓLICO
    O azul e o vermelho foram as antigas cores da Igreja. O vermelho, aludindo o sangue dos Mártires Cristãos e o azul, retratando Maria e a Salvação das almas. Aqui, o azul é relativo ao Plano espiritual-transcendental e o vermelho é próprio da vida temporária. São Planos que formam o Projeto Divino para a humanidade no caminho da Salvação. Os dois planos são separados pela faixa de três asnas, em forma de letra “M“, com a asna central formando a letra “A”, rematada por uma Cruz. Esta faixa representa, não só a silhueta da Catedral Metropolitana, como também, as iniciais “M” e “A” simbólicas de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira da Arquidiocese de Cascavel. A cruz elevada pelo “A” é alusiva ao Cristo Crucificado, Filho Unigênito de Maria, Mãe de Deus e da Igreja, Rainha do Universo e Guia da Nova Evangelização. No mantel azul, uma Cascavel que dá o nome da Arquidiocese, evoca a Serpente de Bronze elevada por Moisés no deserto, fazendo com que os enfermos que a olhassem, ficassem curados. Consoante à passagem bíblica de João, (Jo 3,14): “Assim tem que ser elevado Jesus Cristo, figurado na Cruz, Filho do Homem, para todo aquele que Nele crê, tenha vida eterna.” E esta crença tem como atributo as duas chamas de fogo ardente da Fé. Victor Hugo Carneiro Lopes