Em uma corrente de graça, Charis completa dois anos

O serviço de comunhão entre todas as realidades da Renovação Carismática Católica foi desejado pelo Papa Francisco. “O caminho é preparar os membros desta corrente de graça para compreender que o Batismo no Espírito Santo é verdadeiramente uma ponte que nos une aos cristãos que passaram pela mesma experiência”, recorda o moderador da Charis.
09/12/2020 09:12
4 minutos de leitura
Em uma corrente de graça, Charis completa dois anos

Emanuela Campanile – Vatican News

“Nosso sonho é fazer o que o Papa nos pediu. Ele fala da Renovação Carismática como uma corrente de graça na Igreja, retomando a expressão do cardeal Suenens que fazia a comparação com a corrente do Golfo no Atlântico que aquece todo o oceano e depois desaparece. Neste sentido, o nosso sonho é desaparecer quando toda a Igreja descobrir o batismo no Espírito Santo.”

Com estas palavras, o belga Jean-Luc Moens, primeiro moderador da Charis, descrevia em 6 de junho de 2019 a nova realidade a serviço da Renovação Carismática Católica. Em uma entrevista em frente à Sala Paulo VI, o professor relatou e descreveu na ocasião o significado e a emoção do nascimento oficial de Charis - celebrado oficialmente com um encontro internacional no Vaticano em Pentecostes.

Os estatutos de Charis são publicados no Vaticano em 8 de dezembro de 2018. O novo serviço, criado a pedido do próprio Papa Francisco, teve início no Pentecostes de 2019, quando este ano de 2020 era ainda inimaginável. E Charis, que em grego significa graça, não parou, como explicou ao Vatican News o professor Moens:

R.- O primeiro fruto é a comunhão que está crescendo entre todas as expressões da Renovação de todo o mundo e nisto se vê a grande boa vontade e como tantos estão abertos à decisão do Papa. Certamente, que com a Covid-19, não foi muito fácil, pois não é fácil para ninguém. Tínhamos que começar tudo online. Na vigília de Pentecostes, tivemos algo como 300-400 pessoas conectadas para rezar ao Espírito Santo e ouvir a mensagem do Papa e refletir especialmente quando ele disse que devemos escolher se queremos sair desta pandemia melhores ou piores.

E quais são seus objetivos, concretamente, para que não se saia piores...

Recebemos a tarefa de desenvolver na Renovação a consciência da importância de servir os pobres e vimos que na Renovação em todo o mundo realmente se colocou realmente a serviço. Com todos, compartilhamos tudo o que sabíamos e viemos a ter conhecimento para criar comunhão e rede. Claro, estamos fechados em casa e não é uma coisa fácil para ninguém, mas também teve outro evento muito importante. O Papa nos pede também para renovar os responsáveis, a quem ele quer chamar de servos e não de líderes. Então iniciamos alguns cursos online: tem um curso sobre a Palavra de Deus chamado Logos e em janeiro iniciaremos o curso para os servos que querem ser responsáveis. Também estamos preparando o curso sobre ecumenismo. Fazem parte das prioridades que o Pontífice nos indicou. O caminho, portanto, é preparar os membros desta corrente de graça para compreender que o Batismo no Espírito Santo é verdadeiramente uma ponte que nos une aos cristãos que passaram pela mesma experiência.

Fonte: http://www.vaticannews.va/pt

Notícias Relacionadas

Inicia vacinação no Vaticano
Internacional

Inicia vacinação no Vaticano

13/01/2021
1 minuto de leitura