Igreja no Quênia celebra Missa por nomeação de primeiro abade beneditino no país

19/11/2020 13:11
9 minutos de leitura
Igreja no Quênia celebra Missa por nomeação de primeiro abade beneditino no país

Igreja Católica no Quênia celebrou a bênção do primeiro abade da Ordem Beneditina no país, um sacerdote encarregado de guiar os monges beneditinos e representá-los perante a Confederação Beneditina com sede em Roma.

O novo abade é o Pe. John Baptist Oese Imai, tem 42 anos e é natural da Diocese de Bungoma (Quênia). É reconhecido por sua paixão pela música litúrgica e, um exemplo disso, é que foi "a cabeça" por trás de uma canção católica muito popular no país chamada "Jina Maria" (o nome de Maria), que costuma ser cantada no final da Santa Missa no país.

Pe. Baptist serviu por muito tempo como prior e mestre de noviços da Ordem dos Missionários Beneditinos de São Ottillien, em Tigoni, e pároco da Igreja de São Bento, em Ruaraka, ambos localizados na Arquidiocese de Nairóbi.

No dia 14 de novembro, o Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Nairóbi, Dom David Kamau, presidiu a Missa de bênção do novo abade beneditino, na qual participaram o abade da Tanzânia, Pe. Martin Pambo, e dois outros abades de países africanos.

Na celebração, Pe. Pambo exortou o Padre Baptist a buscar sempre a força de Deus para agir com sabedoria e coragem, e não hesitar em tomar medidas severas contra membros “teimosos demais” que poderiam ameaçar a vida da ordem de 106 anos.

Estarei ao teu lado “para que não seja covarde. Admoeste, repreenda e alerte quando seja necessário”, disse. “Nosso fundador Bento disse que quando tenta guiar uma alma que não está prestando atenção à sua liderança, use uma faca afiada para expulsá-la da comunidade, de modo que a teimosia não se espalhe para os outros monges”, acrescentou.



Explicou que “às vezes terá que eliminar seus próprios amigos. Por isso, rezamos para que tenha a sabedoria profética e a coragem de não agir com preconceitos, mas tratar a todos com justiça, tratar a cada um com misericórdia e justiça, sabendo que todos temos fraquezas”.

O abade da Tanzânia lembrou também ao Pe. Baptist que a sua missão é ser pastor das almas dos religiosos que lhe foram confiadas. “Lembre-se de que você é o pastor de um rebanho que não é seu. Eles o transformaram em um pastor de ovelhas que não são suas. As ovelhas pertencem a Jesus Cristo”, disse.

Aconselhou-o a que, como abade, “precisa de coragem profética porque, se não for valente, enganará o rebanho, enganará a abadia e os monges. Você precisa agir com razão e coragem com base na sabedoria de Deus. “Que Deus lhe encha de força profética e zelo para pensar com perspicácia, falar com eloquência e agir com sabedoria para liderar o rebanho que lhe foi dado”, disse.

Além disso, advertiu-lhe de que desde o início “a liderança não será fácil”, mas “é um fardo pesado” comparável à cruz que carregará ao pescoço com a sua nova veste de abade.

“A cruz peitoral usada por abades e bispos é uma lembrança dos pesados fardos que foram confiados a eles. O Anel é um símbolo de fidelidade à missão, a Mitra um símbolo da dignidade do cargo e o báculo pastoral é um símbolo de autoridade para proteger e trazer de volta o rebanho", disse.

Pe. Pambo aproveitou também para explicar que os abades não são bispos. “Os bispos são nomeados pelo Santo Padre; um abade é escolhido pelos monges em uma abadia. Obviamente, a eleição é ratificada pela autoridade eclesial competente. Os bispos são bispos consagrados ou ordenados; os abades são abençoados”.

A jurisdição de um bispo abrange toda a parte do Povo de Deus que lhe foi confiada, enquanto o abade tem jurisdição sobre os seus monges e deve também ter um cuidado especial por aqueles que vêm ao mosteiro, acrescentou.

Finalmente, dirigiu-se aos fiéis para pedir-lhes que rezem por seu novo abade. “Rezamos para que nosso pai, o Abade Juan Bautista, diga sempre as palavras que procedem de Deus, para que Deus fale através dele quando fala aos monges e ao povo de Deus”, concluiu.

Pe. Casmir Odundo, vigário paroquial da Igreja de Santa Maria, em Kabarnet, da Diocese de Nakuru (Quênia), destacou a importância histórica da bênção do Padre Juan Bautista como abade no país da África Oriental, pois segundo informações só houve um homem com tal título “há muitos anos”.

“Hoje se fez história no Quênia quando Pe. Jhon Baptist Oese Imai foi finalmente abençoado como abade [...] A história conta que alguns anos atrás tivemos um abade no Mosteiro Kipkelion, em Kericho, que pertencia à ordem cisterciense”, disse em uma reflexão, em 14 de setembro.

A bênção do novo abade ocorreu depois que em setembro a Abadia foi elevada ao Priorato Conventual do Príncipe da Paz, em Tigoni (Quênia), que pertence aos Missionários Beneditinos de São Ottilien.

Os Missionários Beneditinos foram convidados ao Quênia em 1972. Hoje, encontram-se nas Arquidioceses de Nairóbi e Nyeri, e nas Dioceses de Eldoret e Marsabit.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

Fonte: http://www.acidigital.com

Notícias Relacionadas

O que é a confissão?
Internacional

O que é a confissão?

10/03/2021
7 minutos de leitura
Dia Mundial da Oração
Internacional

Dia Mundial da Oração

05/03/2021
8 minutos de leitura
FESTA DA CÁTEDRA DE SÃO PEDRO
Internacional

FESTA DA CÁTEDRA DE SÃO PEDRO

03/03/2021
3 minutos de leitura