D. Galantino: o novo presidente da Apsa, compromisso depois da nomeação

11 de julho de 2018 às 12:57
D. Galantino: o novo presidente da Apsa, compromisso depois da nomeação


Ao participar de um simpósio internacional, Dom Nuncio Galantino falou ao Vatican News sobre o novo encargo recebido do Santo Padre. “É um chamado para deixar ainda mais claras as finalidades através das quais temos que agir”.

Cidade do Vaticano

A decisão do Papa Francisco chegou no final do mês de junho. Depois de acolher a renúncia, por limite de idade, do cardeal Domenico Calcagno, ao cargo de presidente da Administração do Patrimônio da Sé Apostólica (Apsa), nomeou para sucedê-lo, no dia 26 de junho para o mesmo cargo, Dom Nunzio Galantino, bispo emérito de Cassano allo Jonio, e secretário geral da Conferência Episcopal Italiana.

Presidente da Apsa

Dom Galantino, 70 anos em agosto, será o responsável pelo organismo do Vaticano que administra o patrimônio mobiliário e imobiliário da Santa Sé e grande parte dos serviços administrativos da Cúria Romana.

Compromisso depois da nomeação

“Vou para uma realidade que não nasce comigo”, comenta o bispo a Vatican News, ao participar do simpósio internacional “Privatização de lugares de culto e gestão integrada dos bens culturais eclesiásticos” no Pontifício Conselho para a Cultura. “Antes de tudo devo me dar conta do que existe e se vive atualmente”, disse esclarecendo que participava do evento como secretário geral da Conferência Episcopal Italiana. Para Dom Galantino, a sua nomeação à Apsa é um chamado – como todos os chamados na Igreja – “para deixar ainda mais claras as finalidades através das quais temos que agir ou nos orientar e também orientar os nossos bens”.