Dia Mundial do Doador de Sangue: acesso oportuno a sangue seguro

12 de junho de 2018 às 14:11
Dia Mundial do Doador de Sangue: acesso oportuno a sangue seguro


A iniciativa destaca valores humanos fundamentais, como altruísmo, respeito, empatia e generosidade. As transfusões de sangue e de seus componentes ajudam a salvar milhões de vidas todos os anos.

Cidade do Vaticano

Celebra-se na próxima quinta-feira, 14 de junho, o Dia Mundial do Doador de Sangue que este ano tem como tema “Seja solidário. Doe sangue. Compartilhe vida”.

A nova campanha da Organização Pan-Americana da Saúde da Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) para o Dia Mundial do Doador de Sangue deste ano agradece o compromisso dos doadores voluntários e busca conscientizar o público em geral sobre a necessidade de mais doações voluntárias regulares para garantir a qualidade, a segurança e a disponibilidade do sangue e seus derivados. 

A iniciativa destaca valores humanos fundamentais, como altruísmo, respeito, empatia e generosidade.  As transfusões de sangue e de seus componentes ajudam a salvar milhões de vidas todos os anos.

Contribuem também para que os pacientes com doenças potencialmente mortais vivam por mais tempo e com melhor qualidade de vida, além de possibilitarem intervenções médicas e cirúrgicas complexas. As transfusões têm uma função vital no atendimento materno-infantil, na gravidez e na resposta de emergência no caso de desastres naturais ou causados pelos seres humanos. 

Os serviços de hemoterapia, que possibilitam aos pacientes o acesso ao sangue e aos componentes sanguíneos seguros e suficientes, são um fator-chave dos sistemas de saúde eficazes. É possível garantir um fornecimento suficiente mediante doações regulares voluntárias e não remuneradas. No entanto, em muitos países os serviços de hemoterapiacontinuam tendo dificuldade para oferecer sangue suficiente e garantir sua qualidade e segurança. 

Eventos no mundo 

No âmbito mundial, o país sede do evento do Dia Mundial do Doador de Sangue 2018 é a Grécia, por meio de seu Centro Nacional Helênico de Sangue, na cidade de Atenas. 

Na Região das Américas, a República Dominicana sediará o evento. Com esse gesto, reconhece-se o esforço desempenhado nos últimos anos para organizar os serviços hematológicos, com a criação do primeiro hemocentro regional no país para fortalecer as redes integradas de serviços de hemoterapia a fim de garantir a disponibilidade e o acesso oportuno a sangue seguro para toda a população que dele precise.  

Sobre as transfusões de sangue nós conversamos com a hematologista Dra. Mariza Mota docente na Universidade Federal de Juiz de Fora (MG).

(Com OPAS/OMS)