Andrea Bocelli: “Em Fátima cada respiração se torna uma oração”

16 de maio de 2018 às 13:00
Andrea Bocelli: “Em Fátima cada respiração se torna uma oração”


FATIMA, 16 Mai. 18 / 09:39 am (ACI).- Após visitar pela primeira vez o Santuário de Fátima, em Portugal, o tenor italiano Andrea Bocelli expressou o que sentiu neste local onde, para ele, até a respiração se torna uma prece.

Bocelli esteve em Fátima no último domingo, 13 de maio, para o recital em ação de graças pelo Centenário das Aparições da Virgem na Cova da Iria.

Na ocasião, além do concerto voltado para músicas sacras, como o Ave de Fátima, o tenor aproveitou a oportunidade para vivê-la como um peregrino e, de joelhos percorreu um breve percurso na Capelinha das Aparições e rezou diante da imagem de Nossa Senhora de Fátima.

“Há certos lugares, como o santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, onde o ar está repleto de sua presença, tanto que cada respiração se torna uma oração”, postou o cantor em suas redes sociais Instagram e Facebook na terça-feira.

Junto com fotos de momentos vividos em Fátima no domingo em que também foi celebrado o Dia das Mães, Bocelli relacionou cada mãe à Virgem Maria.

Segundo ele, “toda mãe a simboliza, todo útero que dá vida a encarna e a traz entre nós”.

Além disso, o tenor ressaltou que Maria é o “caminho para chegar ao nosso Pai, Ela é nossa mãe celestial, a mediadora e consoladora”.

Bocelli já tinha expressado sua admiração por Fátima no início de maio, em um vídeo no qual convidou os peregrinos para o recital realizado no dia 13.

“Fátima é um dos lugares do mundo mais marcantes e sugestivos”, disse o cantor, ressaltando que teve a oportunidade de visitar Lourdes com sua mãe quando era criança, mas nunca tinha ido à Cova da Iria.

Entretanto, contou que conhece “este lugar desde os tempos de criança, na escola primária, porque tive uma professora que era muito religiosa e que contava muitas histórias sobre as Aparições, a vida dos três Pastorinhos, e a história do Segredo de Fátima”. Trata-se, segundo ele de “coisas que transformam este lugar num espaço cheio de espiritualidade”.