A geometria como expressão artística de verdades cristãs

11 de setembro de 2017 às 14:03
A geometria como expressão artística de verdades cristãs


Quadrados, círculos, triângulos, quincunces: todos têm profundos significados espirituais!

O mundo clássico vinculava a beleza à ordem e identificava nela o desígnio inteligente da criação: tudo tinha um significado. Os cristãos rapidamente enxergaram a compatibilidade entre a fé e estas verdades fundamentais, às quais recorreram para representar na arte os ensinamentos do cristianismo.

Os círculos eram considerados um símbolo da eternidade e passaram a ser usados como auréolas dos santos no paraíso, além de reapresentarem o Deus Eterno.

Os triângulos representaram com frequência a Santíssima Trinidade. Quando Deus Pai era representado visualmente, a sua auréola podia ter forma triangular.

Os quadrados eram tidos como um símbolo do mundo. Por ter quatro lados, essa forma geométrica evocava ainda os quatro evangelistas, que levaram a mensagem de Cristo aos assim chamados “quatro cantos do mundo”.

As estrelas de cinco pontas foram usadas em certo momento para representar as cinco chagas de Cristo, um simbolismo que depois foi caindo em desuso – até porque, atualmente, essa estrela costuma ser mais associada ao ocultismo.

As formas ovais ou amendoadas, chamadas “mandorlas” justamente porque este é o termo italiano para “amêndoa”, eram um símbolo comum na iconografia oriental. Uma auréola completa nesse formato, quando representada atrás da figura de Jesus Cristo, era sinal da Sua divindade e glória.

Uma organização geométrica popular na arte cristã era o quíncunx, chamado em português de quincunce ou quincôncio. O artista David Clayton a explica como a “disposição de cinco formas equivalentes, sendo que quatro delas estão organizadas simetricamente ao redor de uma quinta que fica posicionada ao centro”. Em outras palavras: dos cinco elementos do quincunce, quatro formam um quadrilátero, que normalmente é um quadrado, e o quinto elemento é centrado no cruzamento das diagonais, conforme a ilustração abaixo:

Clayton prossegue, explicando o simbolismo cristão dessa figura:

“O quincunce pode ser considerado como o equivalente geométrico da imagem tradicional de Cristo em Majestade. Ao redor da imagem central de Cristo entronizado, vemos quatro figuras que representam os quatro evangelistas, transmissores da Palavra aos quatro cantos do mundo”.