Brasil: "A alegria do Evangelho para uma Igreja em saída"

08 de setembro de 2017 às 12:53
Brasil:


Recife (RV) - Por um Brasil Missionário, a Arquidiocese de Olinda e Recife está reunindo 700 participantes no 4º Congresso Missionário Nacional,de 7 a 10 de setembro de 2017, no intuito de proporcionar reflexão, animação e articulação sobre a natureza missionária da Igreja e de sua tarefa evangelizadora, voltando-se aos povos e além-fronteiras. Para isso, são realizadas diversas atividades, entre conferências, oficinas, plenárias, celebrações, caminhada dos mártires, entre outras, incluindo eventos específicos e de convivência com as famílias que hospedam as delegações, conforme organizado entre paróquias e comunidades.

O compromisso da Igreja no Brasil com a missão e a crise vivida pelo Brasil foram destaque nos discursos de abertura, na noite desta quinta-feira, (07/09), no Teatro Madre Chantal, do Colégio Damas, no bairro das Graças.

“Esse Congresso pode ser uma injeção de ânimo e unidade para a Igreja do Brasil”, disse o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Antônio Fernando Saburido. Ele lembrou o “momento grave da história do Brasil e do mundo”, numa referência à crise pela qual passa o país. “Por mais que estejamos vivendo tempos difíceis no Brasil e no mundo, no campo político e social, temos que testemunhar que esse mundo tem que ser transformado”, disse.

Para o Diretor das Pontifícias Obras Missionárias (POM) e Presidente executivo do Congresso, Padre Maurício da Silva Jardim, o Congresso não pode ignorar a grave crise vivida pelo Brasil no momento atual. “É preciso ter presente a grave crise do país e o projeto de submissão do atual governo ao capital financeiro”, disse.

                               “Vende-se e negocia-se nosso patrimônio nacional e a Amazônia é vista como mercadoria”, acrescentou.

Toda a programação está baseada na metodologia do Ver, Julgar e Agir,iluminada pelas palavras Encontrar, Contemplar, Discernir e Compromisso.

O Presidente do Congresso Missionário e da Comissão Episcopal para a Animação Missionária da CNBB, Dom Esmeraldo Barreto de Farias,disse que a missão nasce do encontro com Jesus e que ela é obra de Deus.

                                “A missão vem de Deus. Ela não nos afasta das realidades que vivemos, nem nos isola em nós mesmos,

                                 mas nos faz mergulhar na realidade para descobrir Deus”, sublinhou.

Nas palavras de Padre Maurício da Silva Jardim, Presidente executivo do Congresso e Diretor das Pontifícias Obras Missionárias (POM), o Congresso já está nas ruas, não está mais entre os organizadores, nem somente com os participantes. “E que continue assim, para além das dioceses, pastorais, comunidades, em ressonância ao que se discutirá em todos os momentos do 4ª CMN”.  

O 4º CMN é promovido pelas POM em comunhão com o Conselho Missionário Nacional (Comina) e a arquidiocese de Olinda e Recife.

 

Mais informações aqui.