Estamos noTempo de Páscoa

Papa declarou santos os pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, videntes de Fátima

13 de maio de 2017 às 12:45
Papa declarou santos os pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, videntes de Fátima


 O Papa Francisco declarou santos neste dia 13 de maio Francisco e Jacinta Marto, os pastorinhos videntes de Fátima, no início da multitudinária Missa que celebra nesse momento no átrio do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Portugal.

De acordo com o rito, o Santo Padre ouviu atentamente a solicitação do Bispo de Leiria-Fátima, Dom António Augusto dos Santos Marto, para que se “inscreva os beatos Francisco Marto e Jacinta Marto no Catálogo dos Santos e, como tais, sejam invocados por todos os cristãos”.

Durante o pedido, o Prelado esteve acompanhado pela postuladora da causa, a religiosa Angela Coelho. Em seguida, leu uma breve biografia dos pequenos irmãos que, em 1917, junto com sua prima Lúcia – atualmente Serva de Deus –, foram testemunhas das seis aparições da Virgem Maria nesta localidade portuguesa.

Assim, após a ladainha dos santos, o Papa procedeu ao recitar a fórmula de canonização: “Em honra da Santíssima Trindade, para exaltação da fé católica e incremento da vida cristã, com a autoridade de nosso Senhor Jesus Cristo, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo e a nossa, depois de termos longamente refletido, implorado várias vezes o auxílio divino e ouvido o parecer de muitos Irmãos nossos no Episcopado, declaramos e definimos como Santos os Beatos Francisco Marto e Jacinta Marto, e inscrevemo-los no Catálogo dos Santos, estabelecendo que, em toda a Igreja, sejam devotamente honrados entre os Santos. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”.

Depois do agradecimento de Dom António Marto e aplauso dos milhares de fiéis, teve início a liturgia da palavra.

Antes de começar a Missa, a imagem de Nossa senhora de Fátima entrou em procissão levada pelos cadetes da Academia Militar.

Do mesmo modo, ingressaram as duas candeias contendo as relíquias de Francisco e Jacinta, carregadas pela postuladora, a irmã Angela Coelho, e pelo consultor da postulação, Pedro Valinho, acompanhados de cerca de 20 crianças e adolescentes entre 9 e 16 anos.

A imagem da Virgem e as relíquias foram colocadas à direita do altar. A Eucaristia é concelebrada por 8 Cardeais e 73 bispos e arcebispos.

Durante a homilia, o Papa assegurou que Maria, “antevendo e advertindo-nos para o risco do Inferno” ao qual uma vida sem Deus leva, apareceu em Fátima a três pastorinhos para “lembrar-nos a Luz de Deus que nos habita e cobre”.

Pois “é sobretudo este manto de Luz que nos cobre, aqui como em qualquer outro lugar da Terra quando nos refugiamos sob a proteção da Virgem Mãe para Lhe pedir, como ensina a Salve Rainha, ‘mostrai-nos Jesus’”, afirmou.

O Papa recordou aos fiéis que “temos uma Mãe” e os exortou a agarrar-se a ela como filhos. Além disso, destacou que na celebração deste sábado “nos congregamos aqui para agradecer as bênçãos sem conta que o Céu concedeu nestes cem anos” das aparições e que passaram “sob o referido manto de Luz que Nossa Senhora”.

“Como exemplo, temos diante dos olhos São Francisco Marto e Santa Jacinta, a quem a Virgem Maria introduziu no mar imenso da Luz de Deus e aí os levou a adorá-Lo. Daqui lhes vinha a força para superar contrariedades e sofrimentos”, afirmou.

O Pontífice assinalou que “a presença divina tornou-se constante nas suas vidas, como se manifesta claramente na súplica instante pelos pecadores e no desejo permanente de estar junto a ‘Jesus Escondido’ no Sacrário”.

Finalmente, Francisco pediu que “sob a proteção de Maria, sejamos, no mundo, sentinelas da madrugada que sabem contemplar o verdadeiro rosto de Jesus Salvador, aquele que brilha na Páscoa, e descobrir novamente o rosto jovem e belo da Igreja, que brilha quando é missionária, acolhedora, livre, fiel, pobre de meios e rica no amor”.

Durante a apresentação das ofertas esteve presente o menino brasileiro que ficou curado milagrosamente graças à intercessão dos novos santos. O menor recebeu um afetuoso abraço do Santo Padre ao chegar ao altar.

Também esteve presente a família do argentino Jorge Sosa, vigilante e sacristão do Santuário, que se casou com Isabel, uma mulher portuguesa, e decidiram chamar seus dois filhos de Francisco e Jacinta, como os pastorinhos de Fátima.

Ao final da Eucaristia, o Santo Padre dirigiu umas palavras aos enfermos que participaram da Missa de canonização. “Jesus sabe o que significa o sofrimento, compreende-nos, consola-nos e dá-nos força, como fez a São Francisco Marto e a Santa Jacinta, aos Santos de todos os tempos e lugares”, assegurou-lhes, para em seguida abençoá-los pessoalmente com o Santíssimo Sacramento.

Finalmente, do altar, Francisco concluiu a Missa abençoando os milhares de peregrinos com o ostensório.